Activision Blizzard resolve processo de assédio.

ANÚNCIO

A empresa Activision Blizzard estava passando por tempos sombrios. Respondendo de forma judicialmente por assédio sexual, condições de trabalhos e afins. Algo que levou a banca a levar uma péssima fama, e talvez influenciando a venda da empresa para a Microsoft. Mas, parece que essa luta na justiça está chegando ao fim, após um acordo milionário.

O juiz distrital dos EUA Dale Fischer aprovou um acordo de alívio de US $ 18 milhões com a Comissão de Oportunidades Iguais de Emprego. Este acordo ocorre meses depois que a Activision Blizzard concordou originalmente em fazer um acordo com o EEOC em 27 de setembro de 2021. Mas aqueles que tentam responsabilizar a editora do jogo estão divididos sobre o quanto isso será uma vitória para as vítimas da cultura “frat boy” da Activision Blizzard.

Durante a audiência de conciliação, um advogado que atua em nome do Departamento de Emprego Justo e Habitação da Califórnia (DFEH) chegou a argumentar. Mencionou que a moção da EEOC para dar continuidade ao acordo, onde violava os direitos dos estados à sua própria jurisdição. Ele afirmou que a intervenção do EEOC foi devido à gravidade da violação da Activision Blizzard e não devido ao processo legal normal.

Activision Blizzard na ponta da linha com processo jurídico e perca monetária.

Imagem: manifestação contra a activision blizzard
Imagem: Imagem: Manifestação contra a Activision Blizzard.

A EEOC argumentou que o DFEH teve meses para fazer o argumento do federalismo, mas optou por abordá-lo na “décima primeira hora”.

” O DFEH foi acusado de atrapalhar e atrasar o processo de acordo enquanto a Activision Blizzard estava cooperando com o governo federal. O juiz exasperado reiterou que o argumento do DFEH era “intempestivo” e que quem discordasse do acordo poderia levá-lo ao tribunal do nono circuito.

Segundo o Washington Post, o acordo pode impedir o DFEH, que também está processando a Activision Blizzard, de buscar mais danos monetários. Ou seja, significando que com o acordo pode ser tornar uma perda tanto para o caso do DFEH, e para as vítimas do assédio sexual por parte da empresa. Isso porque a agência estadual vem sendo historicamente mais agressiva do que os processos federais, como o da EEOC.

As dificuldades do julgamento do DFEH

O DFEH está entrando com seu próprio processo contra a editora de Call of Duty, mas as organizações alegaram que o acordo EEOC contém uma cláusula que permite à Activision Blizzard remover alegações de assédio sexual dos arquivos dos requerentes do acordo, dificultando o julgamento do DFEH. A oposição da EEOC, apresentada em 24 de março, contesta dizendo que o decreto de consentimento não exige ou autoriza a destruição desses documentos. O acordo também permite que a editora use fundos não reclamados para seus próprios fundos de caridade para mulheres. A DFEH teme que o controle sobre parte do dinheiro possa retornar à empresa que o acordo visa punir.

O processo original foi retido pelo DFEH, que apresentou em outubro passado um pedido de intervenção. No entanto, esse arquivamento de outubro permitiu que o EEOC respondesse com sua própria oposição, que alegou que os advogados do DFEH estavam sob violações éticas.

Em outubro passado, Communications Workers of America também apresentaram uma objeção contra o então possível acordo com a EEOC. Na opinião do sindicato, US$ 18 milhões (ou US$ 450 por reclamante) é uma gota no balde para a Activision Blizzard, que pagou US$ 150 milhões ao seu CEO Bobby Kotick em 2020. Na verdade, deixar a Activision Blizzard dará a Kotick um pagamento de $ 390 milhões de dólares. O que é uma quantia enorme de dinheiro para o homem que recebeu um voto de desconfiança de 1.200 funcionários.

Dito isso, o processo da DFEH ainda levará um tempo até a finalização, onde está atualmente definido para 27 de fevereiro de 2023.

Leia Também:

Thalisson Gabriel

Estudante de Analise e desenvolvimento de Software, além de curtir umas paradas nerd, escrevo para o News Geek, e também para alguns outros sites, que pertencem ao Grupo SED.

Deixe um comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo